30 março, 2013

O Livro Perdido das Bruxas de Salém [ Resenha ]


Título: O Livro Perdido das Bruxas de Salem
Autora: Katherine Howe
Páginas: 357
Editora: Suma das Letras

Sinopse:
''
"Uma leitura diabolicamente saborosa" - San Francisco Chronicle
"Uma história de bruxas que vai encantar você" - USA Today

Connie Goodwin queria que 1991 fosse um ano exclusivamente dedicado aos estudos para sua dissertação de mestrado em Harvard. No entanto, por insistência de sua mãe, acaba indo para o interior do condado de Essex cuidar da reforma da casa da avó. Assim que se estabelece no antigo casarão, começa um mergulho inevitável no passado daquele lugar e fica especialmente interessada pela figura de Deliverance Dane, uma mulher reconhecida em sua época por curar doentes, receitando remédios e poções.

É no condado de Essex que fica a famosa cidade Salem, palco dos históricos julgamentos de 1692, quando mais de 150 pessoas foram presas e acusadas de bruxaria e mais de vinte condenadas à forca. O episódio, considerado um dos mais infames da história dos Estados Unidos, ficou marcado como um triste exemplo de histeria coletiva, disseminada por uma comunidade em busca de vingança.

A pesquisa acadêmica sobre esse período e a busca pessoal de Connie por detalhes da vida de Deliverance Dane se cruzam ao longo de O Livro Perdido das Bruxas de Salem. Em certo momento, Connie tem certeza da existência de um "livro perdido" que guardaria os segredos da misteriosa personagem. Seriam remédios? Feitiços? A solução desse enigma é o grande impulso da história do livro, que investiga até onde pode ir o preconceito de uma sociedade contra alguns dos seus membros. "No período anterior à Revolução Científica, a conexão entre fé, saúde e ciência era bem escorregadia", acrescenta Katherine.

Embora seja descendente de Elizabeth Howe, enforcada como bruxa em 1692, e de Elizabeth Proctor, que escapou da execução por estar grávida na época e é personagem da peça "As Bruxas de Salem", de Arthur Miller, a autora conta que a ideia do livro só surgiu em 2005, quando ela se mudou para Marblehead, cidade vizinha a Salem: "Para muitas pessoas, descobrir uma conexão familiar é um modo de personalizar um período da historia que, de outro modo, seria muito remoto e difícil de acessar. No meu caso, sempre fui naturalmente interessada em aprender como era o dia a dia nos Estados Unidos daquela época. Como as pessoas se sentiam vivendo naquele mundo? Como era pensar sendo um puritano? Acho que o episódio de Salem pertence a todos os cidadãos americanos, e cada um de nós tem muito a aprender com ele."''

Resenha:

'' Após mais alguns milênios desaparecida do blog, eis-me aqui. Pessoal, desculpem-me por mais um sumiço, mas fiquei mega gripada e com as costas machucadas por um pequeno acidente de trabalho e nem saía de casa, o que para mim, que usa lan house, impossibilita tudo!!! De qualquer maneira vamos à
resenha :)

As Bruxas de Salém conta a história de Connie, uma garota que faz seu mestrado de História Colonial em Harvard e mal sabe quanto sua vida está ligada à parte de seus estudos. Connie precisa cuidar da antiga casa de sua avó, falecida há muitos anos, a casa está super abandonada e quando Connie vai para lá começa a descobrir uma porção de coisas sobre seu passado e sobre muito mais. Ao mesmo tempo, ela é pressionada pelo seu orientador, um perturbador especialista de sua área, a encontrar fontes novas para progredir com seu trabalho pessoal, algum tipo de fonte histórica que pudesse inovar.

O que Connie não esperava é que seu orientador, a casa de sua avó e até mesmo sua própria mãe tivessem muito mais a apresentar do que ela podia ver superficialmente. O livro fala muito dos julgamentos das Bruxas de Salém, aborda os costumes e preconceitos da época e até mesmo conceitos alquímicos e magia através de ervas. Eu amei o livro, embora em alguns momentos ele tenha ficado meio louco rsrs Mesmo assim, nota 9! *-*''

4 comentários:

Aline Coelho disse...

Amiga que bom vc ter voltado, adoro vc!!!!
Agora entendi, essa questão de precisar de lanhouse é difícil!!! Quando tiver um tempinho comenta nos posts de março que vc perdeu ok!!!! Bjos

Amei a resenha, gosto dessa temática!!!! Bjos

Paloma Viricio disse...

Aiii esse livro parece ser bem interessante. Eu curto muito livro s que falam sobre bruxas ou tenham elas na história. Pena que o livro fica louco em algumas partes. kkk
Boa Páscoa!
Beijocas!
Paloma Viricio- Jornalismo na Alma.

Giani Plata disse...

Oi Amigaaaa!!!

Que bom que está melhorzinha!!! ^^

Amoooo histórias de bruxas!
Ainda mais as de Salem!

Já leu As Bruxas de Oxford da Larissa Siriani?!
Muito bom!
Logo ela lança a segunda parte!!!

Huuun... A história fica meio louca?
Mas louca tipo todo mundo mata todo mundo, ou tava mais para: não entendi bulhufas do que li aqui!

Este vai para minha listinha de desejados!

Beijinhos!!!

Gabriel Rezende Silva disse...

Sinopse meio grandinha ein?? Rsrsrss.
Não me interessei por este livro pela capa, mas a história parece bem legal e bruxas são TDB!
Rsrsrsr.
Ótima resenha.
Beijo